sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Cotidiano Aprendiz


Se ninguém morre de amor,
então por que estou morto?
.
Gosto da história que você conta
mil vezes por dia enquanto a água cai
de um chuveiro semi-ligado defeituoso
que eu tentei concertar há um mês atrás.
.
Gosto da melodia de sua música recente
composta a sete ventos de um amanhecer noturno,
rindo com sua minguante meia-lua debochada
do amor recém-formado em um verso e em um dó menor.
.
Gosto do som da palavra que você repete
no pé de meu ouvido idoso de tantas indas e vindas,
caminhos obsoletos que nunca se cruzam,
em linhas visíveis por apenas seu olhar e o meu.
.
Gosto daquilo que você xinga de feio
em um espelho especial que somente você enxerga,
repleto de humildade enganosa por uma falta de atenção oportuna,
que me encanta a cada dia como se fosse o último e único.
.
Gosto da velharia empoeirada que me mandou de presente ontem,
como se fosse uma caixa cheia de orgulho e satisfação,
guardando um coração sépia mergulhado em sangue profundo,
refletindo a luz de anos anteriores marcados pela falta do dia de hoje.
.
Gosto de me sentir engarrafado no nada,
um vidro transparente que me pressiona contra o natural,
que é inatural por natureza enquanto os pássaros cantam,
mostrando que você é minha única salvação.
.
Gosto de te salvar dos momentos de tédio da normalidade,
assim como você me salva dos meus momentos de solidão instantânea,
marcados pela saudade daquele balançar que aconteceu no passado,
em que ninguém sabia quem era quem e o que era o que.
.
Gosto do pedaço de você que sobrou
em meus sonhos inacabados por um dragão que você criou,
eles brotam como flor na primavera escurecida pelo fogo
de um monstro desconhecido que não sei até hoje nomeá-lo.
.
Existe uma criança brincando no jardim a qual deve conhecê-la,
seu nome não existe, sua face desmorona,
que continua a enxergar um mundo desenhado pelas lágrimas do destino
onde ela pode sobrevoar o escondido
e encontrar o desfigurado amado existente em você.


Douglas Ibanez

3 comentários:

Beatriz disse...

Doug,
amei seu texto como sempre né!Virou meu ídolo!!!
;D

Se cuida ♥

Sonhos & melodias disse...

Douglas que lindo! Cara, sua sensibilidade me pegou nesse texto. Estou sem palavras e comovida. Lindo, simplesmente lindo! Parabéns.
bjs

Anônimo disse...

Douglas, mto fofo seu texto! Amei!
É raro vermos atualmente pessoas sensíveis assim que conseguem passar com tanta naturalidade, sentimentos tão bons pra quem lê!