terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Morri

.













.
Tirei forças de uma morte,
Que me ocorreu manhã bem cedo.
Mortificado a cada segundo parado,
Do sonolento pesar da solidão.
.
Santa madrugada formosa,
De espíritos formou-me a tristeza,
Frutos do triste sono de uma alma calejante,
Amargura alimentada pela voz da perdição.
.
O eco voa em prateado soturneiro,
Encontrando na noite uma paixão perdida,
Problemático o fim das contas dessa história,
Quando tudo se vai e a foice anuncia partida.
.
O pecador que me alegra está caído,
Pobre homem, morreu hoje cedo esta manhã,
De uma morte que ninguém sabe o motivo,
De uma vida a qual deixou de ser sã.

Douglas Ibanez
.

8 comentários:

Caio Lima disse...

hmmm....só digo uma coisa: #tenso kkk

abraço douglas e feliz 2011 =)

Sonhos & melodias disse...

Douglas começou 2011 movido a muita inspiração! mesmo que seja algo triste, melancólico, é poesia da boa. Menino preciso escrever poesia (trabalho da pós) e busco inspiração. Caramba! Quem tem, tem e ponto final. Adorei.
Bjs

Adrielly Soares disse...

Forte teu texto. Parece que nos momentos mais difíceis é que achamos forças.

Feliz ano novo pra você.

Kézia Lôbo disse...

ameii... diferente e forte!

Stephanie Pereira disse...

Ual :)

Jú Souza disse...

Oi Douglas! Voltei com meu blog novamente (sim, faz 1 ano que eu não atualizo ele!) e vim aqui para marcar presença no seu novamente né (:
Adorei esse post e os post antigos também (andei dando uma vasculhada, é claro!)
Parabéns, continua tudo muito bem escrito!
Beijo ;*

Paty disse...

Douglas, adorei. Perfeito!
Fico admirada com o teu talento, parabéns :)
Bom começo de ano!

Beatriz disse...

Li ele uma vez e hoje li ele novamente e a percepção do contexto foi Totalmente diferente...