terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Amor

.
.
É.. ele surge brando, as vezes. As vezes ele aparece na tempestade, as vezes ele surge sutilmente sem nem você perceber, mas ao longo do percurso, a carga de temperatura é grande. Digamos, quase uma estrada aparentemente sem fim, com calor intenso e suor gostoso, frio cortante de um coração tristonho, chuva, raios e trovões de uma tempestade assustadora, além de ventanias que levam tudo da estrada e deixam nada no seu devido lugar. Mas também aparecem os campos de flores, o perfume e o sentimento. A sensação de existência plena de só duas pessoas no mundo. O infinito da estrada é aparente. O final se mostra menos dia. Mas a lembrança de olhar para trás é o que fica e o saber o quanto aprendeu enquanto caminhou, é compensador.
.
Douglas Ibanez
21:00 - 29/12/2011
.

4 comentários:

Ana Luiza disse...

Quem souber lidar com o amor é um sábio. Hoje, mais do que nunca, eu acredito nisso.
Amor é complexidade e simplicidade ao mesmo tempo. É companheirismo e individualidade. É sofrimento e alegria. Muitos se afugentam diante desse sentimento, mas o fato é que ninguém consegue viver plenamente sem ele :)
Feliz ano novo, meu jovem.

Mila Bevilaqua* disse...

Lindo texto. E muito real, por sinal.
Eu, definitivamente, não consigo sobreviver sem essa loucura (Amor), rsrs.

Paty disse...

Belíssimo e sincero! Amei a fotografia também!
O amor é inexplicável e a prova de que ele existe são ações que conseguem juntar pessoas, como o afeto.

Assistiu As Aventuras de Tim Tim, tou louca pra ver!

Roseli disse...

Belíssima definição do amor Douglas!
Hoje estou aqui especialmente pra te convidar a conhecer o blog literário Coletivo Claraboia no qual faço parte. Hoje tem texto meu.
http://coletivoclaraboia.wordpress.com/2012/02/01/curto-circuito/
Te espero por lá
Bjs