quarta-feira, 23 de julho de 2014

Demente

Encontrei as cores de minha loucura,
Pintando o abstrato em um painel de horrores.

Cada qual com sua insanidade certa,
Colorida por uma metáfora única.
Uma fechadura aberta.

Já descobri o tom da arte que me transforma,
O tal caminho que lhe insulta!
Lhe transtorna.

Pinte com a aquarela invertida,
Transbordando a cor que lhe foi instruída.

Na loucura da gente.
Na loucura de mente.

Douglas Ibanez
(11.07.2014 - 1h22)




4 comentários:

Leci disse...

E aí Douglas, vc estaria interessado em participar de uma comunidade no Facebook sobre contos e crônicas?
https://www.facebook.com/estoriasecontos?ref_type=bookmark

Douglas disse...

Opa Leci, tudo bem? Com certeza quero participar, vou add lá. Muito obrigado! E volte sempre que quiser.

:)

Roseli Pedroso disse...

Douglas sempre gostei muito de seus escritos mas rapaz, está cada dia melhor! Adorei sua veia poética!
Aproveitando, aproveito para te convidar a conhecer meu blog só com textos literários meus. Será um prazer te receber por lá:
http://sacudindoasideias.wordpress.com/
Abraço!

Douglas disse...

Opa, muito obrigado Roseli!
Com certeza, vou entrar e seguir para acompanhar sempre.

Beijão!