quinta-feira, 6 de agosto de 2009

A Barca do Céu e do Inferno (a adaptação)

Diz a lenda, segundo Gregos e Romanos, que toda pessoa ao morrer passa por um grandioso tribunal onde seu futuro celestial é determinado por Anjos e Diabos. Verdade ou não, hoje iremos mostrar uma série de pessoas, pecados e traições, de gênero discutível, mas com um humor de rachar o bico, apresentamos para vocês, A Barca do Céu e do Inferno.

***

O dia estava lindo, o sol havia nascido não fazia cinco horas e a grama, fofa e virgem, ainda permanecia molhada da cerração da noite anterior, cuja lua ainda teimava a desaparecer. No meio daquele campo tão pomposo e ensolarado duas criaturas de formas, jeitos e cores diferentes, um era baixo e magricela, tinha um sorriso tímido e uma asa quebrada, sua feição era a de uma pessoa completamente afetada como ninguém mais possuia, o outro, diferentemente, era alto e pomposo, tinha um belo de um sorriso torto do tipo que cativa qualquer mulher, esperavam, calmamente, em frente a dois pequenos barcos de madeira velha e fosca, que boiavam no leito de dois rios paralelos consecutivamente. Seus nomes eram simples, Anjo e Diabo.

- E aí Anjo sangue bom, como foi a sua noite lá nas nuvens?
- Confortável, digamos assim, com um silêncio de acalmar a alma e você? - perguntou o anjo levantando a sobrancelha direita - Como foi a noite lá no seu Inferninho?
- Não digo que foi confortável, mas foi bastante quente - disse o diabo como se relembrasse de bons momentos - acredita que vimos um show de Strip-Tease?
- Polpe-me dos detalhes, por favor.
- Deveria ir nos visitar qualquer dia, - disse o diabo se encostando em sua barca - tenho certeza de que iria adorar aquele lugar.
- Muito obrigado, mas não, prefiro continuar em minha nuvem mesmo, ali é muito
menos... pervertido.
- Você quem sabe, mas se eu fosse você, largava de ser assim.. tão certinho, seguir as regras ultimamente não está com nada.
- AHH! Cale a boca, vem vindo gente ai, vamos nos preocupar com o nosso trabalho.
- Tudo bem, anjinho de asa quebrada, mas aposto duzentinhos que teremos mais gente indo pro inferno do que para o céu hoje. - o diabo então estendeu a mão.
- Se é o que acha, está apostado. - e o anjo celou a aposta

Logo, um homem apareceu. Seu andar era tão elegante quanto suas roupas finas e limpas. Terno, gravata e o cabelo jogado para trás, tudo isso misturado a enorme surpresa que seus olhos e expressões exalavam, por estar naquele lugar.

- Bom Dia, poderiam me informar onde estou? - perguntou o homem parando no meio das duas criaturas, sem ao menos estranhar.
- Claro companheiro - disse o diabo sendo o mais simpático possível - está vendo este belo barco aqui? Então, vai direto para o quinto dos infernos.
- E onde fica isso?
- Nas profundezas da terra, mas não se preocupe, tenho certeza de que vai adorar.
- Ahh! Cale a boca seu chifrudo! - exclamou o anjo olhando de cara feia para o outro.
- CHIFRUDO NÃO!!
- Fique calmo senhor, vou te explicar tudo corretamente, este lugar é onde ficam os dois barcos que levam as pessoas mortas para seu destino final, o céu e o inferno, entendeu?
- Entendi, então.. eu morri?
- Morreu senhor. - disse o anjo compreensivo.
- Para onde irei então? - perguntou o homem inseguro.
- Pra onde você acha que vai? Pro lugar onde tudo pega fogo!!
- Tudo - disse o anjo elevando sua voz - depende de suas atitudes passadas, vejamos o que você fez enquanto ainda estava vivo - o anjo então ficou pensativo, coçando o queixo - você era um homem com bastante dote monetário certo? Tinha muitas mansões, ouro, carros e tudo mais, interessante mas infelizmente, estou vendo aqui, nunca ajudou uma viva alma, sempre quando mais precisaram, você virava as costas para eles por puro egoísmo, bem - o anjo voltou ao normal - lamento amigo, mas para o céu você não vai.
- Como não? - disse ele indignado - Sou um homem de respeito, diga, pode dizer, quanto quer para poder me deixar entrar nessa sua barca e ir para céu?
- Está tentando me comprar? - o anjo abriu a boca - Suma daqui seu ignorante, vai para o inferno que é o teu lugar.
- Está vendo, eu te disse, tem dias que esse barco fica lotado.

E então, o homem rico e bem vestido, entrou no barco do Diabo triste e cabisbaixo. Claro que o dono da barca estava somente aos sorrisos, havia conseguido, logo tão cedo, já um enviado para seu tão adorado lar.

Não passou de vinte minutos para que outro homem aparecesse, mas desta vez, não era tão elegante. Usava roupas largas e possuia diversas correntes de ouro penduradas em seu pescoço. Em seu bolso esquerdo havia uma lustrosa e potente arma de fogo que logo foi notada pelo Diabo.

- E ae sangue bom - disse o homem abraçando o Diabo - tudo em cima vermelhão?
- Tudo na paz irmão, mas então, o que está fazendo aqui?
- Vocês se conhecem? - disse o Anjo após uma tocida falsa.
- Não, mas logo vi que o cara era irmão quando bati o olho nele não é não?
- Tá certo! - exclamou o Diabo fazendo um toque de mãos especial.
- Santo Deus.
- Mas então, o que houve contigo? - perguntou indignado o Belzebu - Como foi que você veio parar aqui?
- Ah, foi bem rápido - o ladrão se encostou no barco onde o homem rico estava - eu estava lá
xavecando umas menininhas, quando surgiu uma senhorinha bem da folgada, com pinta de
granfina, ai não tive como resistir, passei a mão na bolsa da velha e sai correndo.
- Xavecando umas menininhas? - interrompeu o Anjo curioso - Você não é casado?
- Sou sim, tenho 3 filhos por sinal, mas sabe como é, a gente casa mas não morre, quando passa uma mulher bonita, não tem como resistir, tá entendendo?
- Você é dos meus.
- Meu Deus, continue com a história da velha, por favor.
- Bem, eu sai correndo feito cachorro ladrão, mas não adiantou muito sabe, a desgraçada
da velha chamou a polícia e levei um tiro bem no coração, depois disso, direto pro caixão.
- Pobre coitado, morreu tão jovem. - disse o Diabo com voz de compaixão.
- Coitado nada! - disse o Anjo de braços cruzados encostado em sua barca - Coitada da esposa dele e dos filhos, sem contar a pobre velhinha, o céu não tem espaço para você! Seu lugar é no inferno, vai!!

E então, sem saber exatamente o que fazer e risonho ladrão entrou no barco do inferno lentamente, onde se sentou ao lado do primeiro passageiro, a quem deu um leve sorriso simpático.
Logo em seguida a entrada do ladrão, uma mulher apareceu andando pelo caminho do centro com uma expressão de surpresa e de gosto. Era toda extravagante, usava um vestido curto cheio de babados brancos, os colares em seu pescoço, todos bijuterias, pesavam sua cabeça para frente e em suas mãos apenas uma bolsa vermelha estava sendo girada. Andou por alguns metros e ao avistar as duas criaturas, perou na frente do Anjo que a olhou dos cabeços aos pés.

- Pois não? - perguntou o Anjo sem graça.
- Oi, - disse ela com um sorriso maroto - tá afim?
- Afim do que? - perguntou o Anjo com a sobrancelha erguida.
- Aah, você sabe.
- Não, eu não sei minha senhora.
- Mas que diabos! - disse o Diabo saindo de onde apenas observava a cena, chegando mais perto - Como é lerdo esse cara, ela tá perguntando se você está afim daquilo.
- Daquilo você quer dizer.. daquilo? - ao ver a confirmação maliciosa do Diabo, o Anjo arregalou 0s olhos - Santo Deus minha senhora!! Que tipo de mulher você é? Uma prostituta?
- Prefiro que me chamem de profissional do sexo, por favor. - disse ela entortando o nariz.
- Ok, como quiser, mas no céu não tem nenhuma profissional do sexo, lamento muito,
prefiro que vá para o outro barco.
- Não sei por que - disse ela debochada - deveriam me considerar uma santa, fui muito útil enquanto estava viva, nunca ninguém jamais reclamou de mim.
- Pois eu estou reclamando agora.
- Mas eu estou agradescendo - disse o Diabo abrindo os braços enquanto mostrava o caminho a mulher - entre aqui no meu barco linda, não liga para ele não, lá no inferno é bem quentinho e aconchegante, pode confiar.

E a mulher entrou ofendida no barco do Diabo. Já o Anjo, vermelho de vergonha, se sentiu bem mais aliviado ao reter sua atenção para as gargalhadas que o Diabo estava dando.

- Que foi palerma? Por que está rindo? Qual é a graça?
- Da tua cara oras, vermelho assim parece mais um pimentão, está até ficando parecido comigo em relação a aparência - o Anjo fez uma careta o que desatou em mais risadas do Diabo - mas me fala, para que tanta vergonha Anjão, nunca esteve com uma mulher?
- Cala a boca seu Chifrudo!! É lógico que já estive com uma garota.
- Sério? - perguntou o Diabo duvidando da resposta - Quantas?
- Muitas e para seu governo, todas elas me acham bem charmoso. Adoram minhas asas brancas.
- Quanta bicharada, gente do céu, por isso continua solteiro.
- AAH! Cale a boca! Pare de ser intrometido!!

Então, sem nenhum deles perceber, um homem de rosto amargurado e bastante sério surgiu no meio dos dois. Usava vestes longas, que cobriam maior parte de seu corpo, usava um tipo de chapéu emplumado e em suas mãos havia um pequeno mertalo de madeira.

- O que está acontecendo aqui, posso saber o por que dessa discussão?
- Este.. este Diabo Chifrudo, está se intrometendo demais em minha vida.
- Não tenho culpa que você seja frouxo, - ele sorriu - se morasse no inferno saberia o que é ser homem.
- Sou mais homem que você, não preciso de mulher para mostrar minha masculinidade. - o Anjo então se virou um pouco para o lado emburrado.
- Com essas asinhas cheias de plumas? Realmente difícil de acreditar.
- Pelo menos não sou eu quem tem um rabinho vermelho pendurado!
- Colegas!! Olhem o nível da conversa, por favor, estamos sendo assistidos - disse o homem apontando para os outros dentro da barca que olhavam a briga assustados - bem, já vi e ouvi os dois lados da situação, agora só preciso julgar quem é o culpado.
- Te dou cem anos sem castigo se me deixar como inoscente!!
- Espere um pouco - disse o Anjo chegandomais perto do homem como se o reconhecesse - você por um acaso não é aquele juiz que foi preso por receber dinheiro dos réus? E que depois de um infarte ficou no hospital durante dias?
- Sim, sou eu mesmo, Juiz Nicolau Segundo Neto.
- Pois é, bem típico - disse o Anjo como se estivesse sem esperanças - pode ir para o outro barco vai, vá receber dinheiro do Diabo, já que ele adora fazer isso.

E vendo o belo sorriso do Diabo, o Juiz entrou na barca do inferno contente, crendo em que, depois que chegasse ao seu destino final, receberia exatamente aquilo que lhe foi prometido, cem anos sem castigo.
Nas horas seguintes, onde nenhuma viva ou morta alma passou pelo caminho entre as duas barcas, o Anjo e o Diabo não trocaram uma palavra sequer. Na realidade, nem se olhar eles se olhavam mais, pois enquanto o Anjo ficava sentado na beira de sua barca balançando os pés e cantarolando, o Diabo jogava truco com a prostituta afim de conseguir um prêmio especial.
De repente, um ser amalucado, vestido de branco e com um rosto totalmente demente, apareceu pulando e cantando no caminho entras as barcas. E seu rosto não havia nada além de um sorriso inoscente e em sua mão esquerda trazia um pequeno rolo de papel higiênico.

- Quem é você meu filho? - perguntou o Diabo interessado.
- Sinceramente? - disse o homem pensativo - Não sei, costumam me chamar de louquinho ou pequeno louco, mas será que eu sou mesmo louco?
- Realmente - disse o Diabo balançando a cabeça não acreditando - quanto mais eu rezo, mais assombração me aparece e como você morreu louco?
- Como eu morri? - ele olhou para o papel higiênico - Morri de caganeira, foi dolorido, mas bem rápido para falar a verdade, sabia que não deveria ter comido aquela feijoada no hospital.
- De caganeira?!? - o Diabo fez uma expressão de nojo e falta de entendimento - Realmente você é não é normal, vamos fazer um teste, me fala, quantos dedos tem aqui?
- Não sei, mas estou vendo dois chifres, quem é você? O Boi da cara Preta?
- Não, prefiro que me chamem - e encheu o pulmão de ar - de Senhor da Escuridão, sabe agora quem sou eu?
- Já Sei!! Você é o Batman!!
- Não, eu não sou o batman - disse ele tentando ter um pouco mais de paciência - não está vendo que estou usando vermelho?
- Então seria o Chapolin Colorado?
- NÃÃÃOO!! - gritou o Diabo fazendo a terra dar uma leve tremida - SOU O DIABO SEU LOUCO RETARDADO!!
- Sabia, logo desconfiei quando te vi, chifrudo!!
- NÃO ME CHAMA ASSIM!!

O Anjo, que estava ao lado ouvindo tudo, se acabava e tanto dar risada. Quando o Diabo lhe viu, sentiu uma súbita vontade de pular em seu pescoço e depená-lo pouco a pouco, para quem sabe depois, fazer um ensopado. O louco, que a uma hora daquelas já havia perdido o interesse no Diabo, que estava se sentindo magoado, se virou para o Anjo com uma expressão curiosa.
- E você, o que é? - perguntou o louco virando o rosto para a esquerda - Um ganso?
- Uma galinha, - disse o Diabo ofendido de costas - e dangola.
- Não louco, sou um anjo e estou aqui para deixar pessoas como você e diferentemente dele - e apontou para o Diabo - entrarem para o céu.
- O quê? - se virou o Diabo nervoso - Você vai deixar essa criatura ir para o céu? Ele me ofendeu!
- Eu te ofendo todos os dias e mesmo assim continuo indo para o céu normalmente - disse o Anjo com uma expressão risonha - aliás, você é chifrudo mesmo, por favor, não negue, pode entrar louco, afinal, você não passa de um infeliz e não sabe das coisas que faz, por favor.
- Vou te dizer viu - disse o Diabo sério - isso é uma tremenda injustiça.
- Se é injustiça eu não sei - disse o Anjo se encostando na barca de braços cruzados e com um sorriso na boca - mas se quiser revogar sua situação, pode falar com um de seus marinheiros, afinal, um deles é juiz certo?

Durante todo o resto do dia, ninguém mais apareceu no arraial do Céu e do Inferno. No tempo em que esperavam, Anjo e Diabo, ficavam sem fazer nada, a não ser se distrairem com seus novos marinheiros. Quando o sol já estava se pondo, o Diabo, que estava se espreguiçando depois de um longo cochilo, se levantou esfregando as mãos.

- Muito bem, já trabalhamos demais por hoje, não é Anjão?
- Para pessoas como você - disse o Anjo de cara amarrada depois de ter dez penas arrancadas de sua asa pelo Louco - que não passam de vagabundos, tenho certeza que deve estar super cansado, depois desse longo sono que tirou.
- Com certeza, agora irei levar todo esse povo lá pra baixo e depois vou descansar legal, soube que hoje é dia de cerveja e adivinha quem vão ser os garçons?
- Esse pessoal que está ai no barco? - disse o Anjo apontando com o rosto para as pessoas da outra barca.
- Exatamente, lógico, depois de uma bela seção de cem chicotadas que vai ser da pesada, adoro vizinhança nova!!
- Entendo.
- Mas antes - disse o Diabo seguindo até o Anjo - não pense que esqueci da nossa aposta Anjinho caído, tenho mais pessoas no meu barco que você, então, pode passar os duzentos mangos ai.
- Sem problema, não sou caloteiro, mas antes quero dizer uma coisa.
- Lá vem lorota, o que é agora?
- Não sei se você sabe Diabo, creio eu que não, mas aqueles que se arrependem de coração temum espaço nos braços de Deus. Então, imagino eu, se depois desse longo dia ao seu lado e sabendo exatamente o que lhes espera, se nenhum de deles está realmente arrependido, alguém?
- Você não vai fazer isso comigo, vai? - perguntou o Diabo abrindo os braços.
- Pode apostar que vou - disse o Anjo balançando a cabeça - então, alguém realmente está arrependido?
- Eu estou - disse o homem rico se levantando - me arrependo de ser egoista e egocêntrico, arrogante também, além de nunca ter ajudado ninguém ao meu redor, me arrependo de
todo o meu coração.
- Eu também - disse a prostituta - me arrependo de ter me vendido por uma coisa tão baixa, sou uma pessoa e não um objeto, isso é errado e agora eu entendo isso, me arrependo de todo o meu coração.
- Diabo, tu é meu amigo, mas eu ainda prefiro o lado do bem cara, foi mal. - disse o ladrão se levantando - Me arrependo de todas as vezes que roubei e traí minha mulher, me arrependo de todo o meu coração.
- Pô cara! Tu me traiu poxa! Que raio de irmão é tu, meu.
- E você juiz? - perguntou o Anjo olhando para dentro da outra barca.
- Diabo, tem mulher lá em baixo?
- Todas quintas e sextas após a meia noite, - disse o Diabo emburrado - mas antes você vai ser castigado e levar umas boas pauladas.
- Mas e o nosso trato?
- Depois dessa perda enorme que tive? Esquece meu amigo, o máximo que posso é liberar algumas gurias de qualidade lá, só isso.
- Bom, eu aguento, - disse o Juiz cruxando as pernas - vou continuar aqui.
- Que seja feita sua vontade, podem vir.

E então, todos os que se arrependeram de coração saíram da barca do inferno e seguiram para a barca do céu lentamente, com um rosto puro e sorridente. o Anjo lhes deu passagem e o Louco fez festa para eles, enquanto o Diabo resmungava a torto e a direita.

- Bem, Acho que perdeu a aposta chifrudo! - disse o Anjo guardando seu dinheiro.
- NÃO ME CHAMA ASSIM DESPENADO!! TOMA, DUZENTAS LIBRAS..
- Ai ai, nada como pessoas no barco e dinheiro no bolso, bem, vou-me indo, anjos e anjas me esperam.
- Vê se gasta direito esse dinheiro viu. - disse o Diabo com um olho fechado e outro aberto balançando o dedo - Vou ficar de olho.
- Pode deixar, - disse o Anjo já dentro da barca, colocando-na nos eixos do rio - a caridade agradece, tchau.

E então, a barca do Anjo subiu rio a dentro, desaparecendo lentamente pela neblina. Quanto ao Diabo, que ficou sozinho com seu juiz, entrou dentro da barca, a endireitou e foi-se embora também, para não ficar ali, frustrado e sozinho.
- Será que vou gostar de lá? - perguntou o Juiz enquanto o barco saia do lugar.
- Não sei, só sei de uma coisa, lá a coisa, pega fogo!!

***

Bem pessoal
está postada a adaptação que eu falei, espero que gostem ^^
eu tinha postado anterioremente e alguns já leram
mas como tinha ficado muito grande resolvi colocar em um
post a parte ok?

Hoje também é Dia dos Pais!
Parabéns a todos os pais que existem no mundo
e aos que veem aqui =]

Terminando, espero que gostem =D
abraços e até mais!!

8 comentários:

Doki☺Heytor disse...

Feliz dia dos pais \o/
quem nunca foi pai nessa vida?

repito, adorei sua daptação ;)

Douglas disse...

valeeeeew Doki!!!

Feliz Dia dos Pais pra voce também!!
concordo, quem nunca foi pai nessa vida hein?

Só espero que nem eu nem você sejamos pais com menos de 18 certo? AUHAUHAUAHUAHUAH

abraço!!

Déia disse...

Adorei sua adaptação! hehe...

E sobre os pais....tomara que vc seja um pai de verdade qdo decidir... não vale carregar o nome e fazer hum monte de coisa que deixe os filhos tristes...errar é humano, mas há sempre uma limitação pras asneiras da nossa vida! rs

bjs

La Sorcière disse...

Sua releitura é fantástica!!!
Eu realmente adorei!
A parte do louco perguntando se o diabo era o batman ou o chapolin colorado foi genial!!!!
Atualizado, moderno, mas sem fugir da proposta do original!!
Por isso é que sou sua fã!!!
Feliz dia dos Pais para o seu papai!!
Bj

Douglas disse...

Heey Deiaa!!

Que bom que gostou da adaptação hehe
quanto a ser pai... sim, quando eu tiver que ser, serei, mas espero que demore um boom tempo ainda hauahuha, mas quando ser, quero ser um bom pai.. por isso quero ser maduro o bastante pra poder ter um filho, pra poder ter responsabilidade e condições de criar uma criança, nossa, me senti responsável agora HAUHAUHAU

Sorcière!!
Pode deixar que eu já dei feliz dia dos pais pro meu pai, hoje é niver dele também.. coincidência não? hehe

nossa... muito obrigado pelo o que disse em relação a adaptação.. fico muuuuuito feliz que tenha gostado =D
muito muito muito mas muito mesmo
obrigaaaado

beijos para as duas hehe

Introspectiva disse...

Oiee
Ganhou um selo não. Ganhos Vários! Todos os selos que estão lá foram dedicados a todos os meus amigos. E isso inclui você :D

Hoje to de passagem na net mas amanhã volto aqui para comentar.

Grande beijo!!

Duh disse...

hahahahahaha

ilário!!
muito bom mesmo cara ahahha
me deu uma certa nostalgia de lembrar da história do livro
ahhahaa

abraço!!!

Douglas disse...

Introspectiva!!
Valewzão por todos os selos ^^
Preciso fazer um post só para eles HUAHAUHAUHAUAH
gosto muito de selos =D

Duuh!!
Nostalgia mesmo néé?
As vezes eu também leio akguma coisa que me lembra um monte de coisas que eu li ou fiz algun trabalho... é bom.

obrigado pessoal
abraços e beijos