quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Noite Mal Dormida

.
O que são roupas de veludo,
Quando posso te ter inteiramente nua?
Sem nenhuma proteção para minha louca vontade,
De te tornar somente minha a noite inteira.
.
Morder sua orelha com carinho,
Ao longo do caminho de minha mão perigosa,
Por sua perigosa pele chamativa,
Que me alerta para ficar longe,
Enquanto me avisa para chegar perto,
Como um bilhete de inda e vinda do inferno.
.
Sou seu príncipe, seu cafajeste.
Me chame como entender seu julgamento,
Contanto que seja seu, meu corpo e coração,
Entre rosas e ligas perdidas ao dente,
De um feroz doente,
Agonizando em meio sua ofegante respiração.
.
Cordas de violão de um cõração partido,
Encontrando o caminho para o lar doce lar,
De uma verdade omitida que eu não sabia existir,
Matando-me a cada segundo,
A cada noite pensando em ti.
.
Venha e deite-se ao meu lado,
Vou lhe mostrar qual é o verdadeiro paraíso,Justificar
De uma noite aparentemente mal dormida,
Mas muito bem aproveitada,
Por estar extremamente acompanhada
Entre o eu e o eu mesmo.
.
Assinado: Seu Príncipe, seu Cafajeste.
.

7 comentários:

Déia disse...

Ui.. Adorei!!

bj

Beatriz disse...

Lindo... de arrancar suspiros e sensações!!!

La Sorcière disse...

Hummmmmmmmmmmmm... super sexy!!!
Feliz a musa inspiradora de tanto calor!!!!!
Bj ;)

Kézia Lôbo disse...

Uau... Very hot!!!
Aahuhau adorei!!!

Giuliana Bruni disse...

Lindo poema, romance e sensualismo de forma sutil e bonita.

introspectiva.info disse...

Que poesia linda, adorei!
Nada mais importa quando estamos com a pessoa que faz nosso mundo valer a pena.

Finalmente voltei ao blogger :)
Grande beijo!

Jaqueliny Euzébio disse...

Nossa, menino... Onde você aprendeu a escrever assim? ADOREI!!!! De verdade mesmo, é umas das coisas mais sensitivas que eu já li por aqui. Deu até um arrepio.


(...)


Embora eu considere necessário dizer que a minha igreja está proporcionando aulas de ensino da bíblia para aprender a controlar essas... coisas.