segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

A Cerva e a Vide

.
A nós aqui estamos para uma fábula e nada mais. Algo que veio, que vai e que fica na nossa vida passada. Escolhi esta aqui, como um exemplo de cuidado, não cuspa no prato em que comeu, agradeça ao amigo, seja educado. Agora vamos a mais uma Fábula de La Fontaine. Espero que gostem, espero que apreciem.
.
A Cerva e a Vide
.
Estava entre umas parras escondida
Uma cerva, que vinha perseguida
De uns que andavam à caça: iam passando,
Sem que a vissem: a néscia imaginando
Que estava já segura, foi comendo
Umas fôlhas que a estavam defendendo.
Êles viram bulir, e suspeitaram
O que era; deram volta, e a mataram:
Ela explicando diz: "Justo castigo
Que ofendi quem serviu de meu abrigo!"
.
Couto Guerreiro
.
Bem, é isso pessoal.
Espero que tenham gostado
e que sirva de lição e conceito para algum feito!
Abraço a todos e até loguinho mais!
.

2 comentários:

Jaqueliny Euzébio disse...

Adorei essa fábula!
Na verdade, sou suspeita porque quando eu era meninota, meu gênero favorito de livros infantis eram as fábulas. Até hoje quando eu as leio, sinto aquela nostalgia gostosa, que me faz lembrar quando li minha primeira fábula.

Mas essa já é para mocinhos mais crescidos. E eu adorei!

Kézia Lôbo disse...

Legal... Curti mesmo!