quarta-feira, 27 de maio de 2009

Os Sete Pecados

Murmurei essa idéia por bastante tempo até poder vir aqui relatar o que pensei. Não sei quanto a vocês, mas considero este tema, Os 7 Pecados Capitais, de forma bastante imaginativa e qu eme faz pensar em muitas coisas mais profundas. Por exemplo, onde eles estão na sociedade? E no ser humano? Teria cada pessoa um Pecado principal que o rege? São perguntas que não possuem uma difícil resposta mas que nos fazem pensar em muitas outras portas que se abrem a partir disto.


Uma das maiores indagações que sempre fiz e continuo fazendo é a seguinte, será que o ser humano sabe o verdadeiro significado de cada Pecado que existe dentro de si? Deixo bem claro que não estou fazendo nenhum evento religioso ou coisa do tipo, mas sim discutindo algo que está no cotidiano, ou melhor, a cada minuto de nossas vidas.


Quando eu pergunto a alguém: O que é a Gula?
Logo me respondem: Comer demais.


Esses são estigmas que está na cabeça da população e permancem, em alguns casos, por um longo tempo sem serem percebidas por quem as usa. O que deixa este assunto ainda mais interessante é a falta de conhecimento, gerando assim algo que não é chamado de "Pecado" por não pertencer a idéia estigmada em mente.

Então, vamos fazer algo interessante, vamos nos aprofundar nos significados e tentar descobrir a profundidade que cada pecado possui.


Avareza

A primeira imagem que surge ao se dizermos essa palavra, creio eu que na maioria das pessoas, é uma mão segurando o dinheiro bem firmemente, como se a Avareza fosse o ato apenas de ser, como dizemos popularmente, pão-duro ou mão-de-vaca. Na realidade, ser avarento é dar maior valor ao que é material e deixar aquilo que realmente importa para trás, se entregar de vez à futilidade material se tornando algo completamente vazio.



Soberba/ Vaidade

A começar pelo nome, que nem todos sabem exatamente o que é, Soberba é a típica gíria "se achar", é se autojulgar o melhor de todos, o maior entre os iguais, o topo da cadeia alimentar em que vivemos, onde o alimento não é necessariamente comida. É o orgulho extremamente avançado de si mesmo que acaba cegando e ensurdecendo ao dono de tal egocentrismo, lhe privando de humildade e de amor ao próximo, prejudicando aqueles que são subjulgados como inferiores.
A Vaidade é um dos grandes estigmas da sociedade em relação ao significado puro de cada pecado. Sua origem não vem da vontade de estar bela, de se olhar no espelho ou de ficar bonita, mas sim como causa disso tudo. A Vaidade é mais do que a vontade de se arrumar, é o sentimento de amar a si mesmo completamente, esquecendo-se do que existe ao seu redor e se focalizando apenas na imagem refletida no espelho. A pessoa se olha por que é vaidosa, esta sim talvez seja a verdadeira essência de tal pecado que não necessita do espelho para existir, mas sim do Orgulho e da Soberba já existentes dentro de nós.




Uma grande curiosidade nos 7 Pecados é fato de estarem sempre se coligando. Funcionam de formas diferentes e por canais bastante diversificados, mas que no fim, acabam sempre em lugares extremamente parecidos e vivem se esbarrando ao longo do caminho, transformando a quem lhes ama em seres totalmente compativeis aos outros. A extravagancia de um acaba abrindo portas para os outros.



Inveja

A Inveja é um dos pecados que talvez mais mexa com o próximo que nos rodeia, pois ela precisa dele para poder sobreviver. É muito a mais do que o ciúme ou a injustiça, é a doentia idéia de se querer exatamente aquilo que tal pessoa possui. É a vontade, o roubo mental daquilo que pertence a outro e que abre portões para N pecados variados. A Inveja é tão forte que pode sim levar a vida de outra pessoa para trás, pois junto com sua força veem outros sentimentos de total morbidez, o ódio, o desgosto, a melancolia, a raiva e muitos outros que são libertos com este pecado. Querer ser o que outra pessoa é, querer estar em seu lugar completamente, ter suas coisas, seus sentimentos, sua propria vida, lhe traz a Inveja como companhia.



Ira

A Ira, ou raiva, cólera e tantos outros nomes que ouvimos por ai, é talvez um pecado que aparece junto de outros. É como se fosse uma concequência por não termos conseguido algo que outros pecados nos satifazem. É o estouro, o grito, a agressvidade animal liberada pelo ser humano por algum motivo particular. Pode ser ele o perfeccionismo, a inveja, a frustração, ou até mesmo a desqualificação de nossa capacidade de resolver nossos próprios problemas. A Ira é formada por diversos motivos e cada um mais pessoal que o o outro. Ela torna o humano um ser agressivo e com sua animalidade exremamente exposta, é o exagero da agressividade.



Preguiça

Este é talvez o pecado considerado mais tolo dentre todos os outros e sinceramente, de certa forma, sou da mesma opnião, talvez pelo fato de eu não ter encontrado no que discutir exatamente neste pecado ou de não ter descoberto a essência do pecado em si. Em minha visão, a Preguiça, se torna um pecado no momento em que deixamos de fazer certas coisas por conta dela. Ao nos prejudicarmos e aos outros por estarmos cansados demais para nos levantarmos do sofá, sendo que nem sempre estamos tão cansados assim, estamos pecando contra nós mesmos e, talvez, esta seja a essência do pecado. (digo novamente que me torno um tanto vago neste ponto, pois não tive ainda a sensibilidade de perceber a profundidade deste pecado.)



Gula

A Gula, como exemplifiquei mais acima, é um dos mais estigmatizados dentre os 7 Pecados Capitais. A imagem que se é formada dele é o da fome, o da vontade de comer excessivamente e sem um pingo de moderação em sua compulsão. Não deixa de estar errado tal conclusão imposta na sociedade, mas o que se é deixado para trás é a fome de outras coisas além da comida. A Gula surge na vontade de querer algo por compulsão, sem saber se controlar, querendo sempre mais e mais e não dando valor a coisas mais importantes. É querer aquilo mesmo sem ter condições de possuí-lo, de fazer o que for necessário para se conseguir o prêmio final. A Gula se define na fome excessiva de tudo que se pode imaginar, seja de comida, de um desejo reprimido, de uma vaidade infantil ou de tantas outras coisas mais.



Luxúria

É, talvez, o pecado mais falado e comentado dentre todos os outros. Seu nome é bastante curioso, pois se aparenta muito com a palavra LUXO e isso causa um certo conflito de idéias. A Luxúria pode ser muitas coisas escondidas e que não paramos para pensar normalmente. Ela vai além do sexo e da banalização do mesmo, pois na real, a Luxúria é o prazer que se tem com tais coisas mundanas e que ao fim despertam o mesmo sentimento. Sexo e Luxo podem entrar em conflito mas estão completamente de mãos dadas nesta situação. A beleza, a sedução e a essência da sexualidade, de saber mexer com o corpo e suas sensações para que no fim ocorra uma explosão de desejo, assim ocorre o mesmo com o luxo, transformando aquela sensação de poder ter aquilo que quer, aquilo que tanto desejava em uma explosão de desejo. O luxo é a sexualidade traduzida em termos menos eróticos, se assim possa ser dito. É aquele clima envolvente, a maciez da voz, aquela situação hipnótica e vermelha que consegue tranformar o bom e o mal em um empate total do ser humano e que transborda, depois, em prazer e gosto.




De forma ou de outra, os 7 Pecados estão trivialmente infiltrados em cada momento de nossas vidas e não se tem como fugir deles, afinal somos seres humanos e todos nós pecamos (quem dizer que nunca se viu querendo mais do que queria, sentindo-se o maioral, sem vontade de fazer nada durante o dia além de ficar deitado ou até mesmo quem nunca teve um pensamento impuro que seja trate de ir se confessar, está mentindo!!). Seja no pensamento, na atitude ou na promessa, os pecados conduzem o ser humano a tomar atitudes que nem sempre possuem volta. Suas essências os tornam sempre diferentes um do outro (como já dito) mas estão sempre se esbarrando e se coligando, dando forças para seus companheiros para inundar o interior de quem os acolhe. Trazem seus prazeres, que se tornam infinitos enquanto duram, mas também sua destruição com consequências fortes e de breve alcance.

Não temos como fugir deles, somos imperfeitos e condicionados a isso, mas podemos e temos o controle de sabermos a hora exata de deixarmos de usá-los. Pois tudo que é ao extremo causa destruição e com os pecados, a destruição é a INTERNA DESTRUIÇÃO DE SI MESMO.

Bem, creio eu que seja só isso por hoje,
espero que o texto cause pensamentos em vocês.. gosto disso!
Então, até mais pecadores.

8 comentários:

Mila Bevilaqua* disse...

hahaha, gostei do "...até mais pecadores.".

Escreveu super bem sobre todos, adorei e tive uma compreensão maior do que é cada pecado, e o quanto está presente na minha vida alguns deles, enfim muito bom!
E olha, não sei se é coisa da minha cabeça, mas parece que os blogs que tenho lido, sempre algum tem um texto que acho super excitante, que me provoca de uma maneira que não sei descrever, enfim , esse da luxúria está esplêndido!

Um beijo, sucesso e força sempre!

Luiza de fato! disse...

Adorei o post.
Primeiro a idéia de postar sobre algo do que tá tão presente sempre que nem paramos para pensar a respeito; e depois a forma que você conduziu e dissertou. Ótima reflexão.
Esse post tá muito bom mesmo.
Na verdade eu comecei a ler ontem mas já tava tarde e eu pequei, pra variar, com a preguiça de refletir. Por isso passei a te seguir. E hoje voltei aqui e confirmei que o sono de ontem não fez tanto estrago não. Realmente, esse é um post que vale a pena ler.

;*

Té mais, pecador.

Caique Gonçalves disse...

Muito bom o texto!
Vou te seguir também, amigo.

Abs

Douglas disse...

pois é pessoal.. os pecados tão ai né? fazer o que.. a gente tem que dar uma refletida neles e eu gosto desse tema pra caramba.. seilá, acho complexo o bastante pra poder viajar bastante na maionese (coisa que eu nem gosto de fazer néé? hehe)..

obrigado pelos comentários..
VALEU MEEEESMO!!!
fico muito contente que gostaram..
XD

Rosana disse...

Acho que na realidade todos nós temos um pouquinho desses 7 pecados e as vezes nem percebemos que eles andam junto conosco no nosso cotidiano... Mas somos humanos não é mesmo?? Quem nunca errou que atire a primeira pedra. Bela postagem garoto.
Beijos

Douglas disse...

sã os pecados que nos fazem errar a principio e acertar na segunda vez... exatamente, somos humanos e vivemos com isso a cada minuto..
valew
XD

Brenda disse...

Vaidade e preguiça são os que tem mais a ver comigo. Mas a vaidade a que me refiro é mais aquela vontade de se "tornar" bonito, e não de se achar o melhor.
Preguiça, inveja e gula são pecados que todo ser humano tem, de maneira explícita ou implícita, mas todo mundo tem.

E ah, gostei muito do jeito que tu escreve. É aquele texto que dá vontade de continuar lendo mais, sabe? Tô te seguindo aqui também. ;)

Douglas disse...

pior que é verdade =/
todo mundo tem hauahuha
a gente só tem que saber controlá-los.. hehe

aah valew Brenda.. fico feliz pakas que tu gostou XD

beijos