sábado, 3 de abril de 2010

As Crônicas de Nárnia: O Sobrinho do Mago

Pois bem minha gente, estou aqui de novo, mais uma vez e novamente para trazer a vocês uma experiência que eu estou tendo em termos de leitura. Como eu disse há alguns posts atrás, comprei pelo Submarino, em uma incrível promoção de 10 reais, o Volume Único de As Crônicas de Nárnia e desde então, passei a lê-lo com muita curiosidade e voracidade (quem gosta de ler sabe o que eu quero dizer com VORACIDADE).


As Crônicas de Nárnia é uma coletânia de 7 livros escritos por C.S. Lewis, onde narra aventuras ocorridas neste mundo e no incrível mundo de Nárnia. É um dos marcos de fantasia em termos de literatura, assim como O Senhor dos Anéis e Harry Potter. Mesmo que escrito para crianças, como o próprio livro diz, as histórias são de uma singularidade e de um modo de escrita tão bem elaboradas que serve para qualquer pessoa, seja criança, adulta ou idosa. As Crônicas de Nárnia são histórias que ressaltam fantasia, ética, realidade e existência, além de comportamento e modos de agir através de épocas e mundos.


O Sobrinho do Mago

Quem viu apenas os 2 filmes no cinema, não imagina que, por detrás daquilo visto, existe explicações e realidades que jamais foram ditas na grande tela. O primeiro livro da série se chama O Sobrinho do Mago e conta como surgiu a inesquecível e mágica Nárnia.

O que você faria se seu tio maluco mandasse sua melhor amiga para um universo paralelo desconhecido, por meio de um anel mágico, sem meio de volta, sendo que o único capaz de trazê-la de volta é você mesmo? Pois é, isso é o que acontece na história de Diggory e Polly, dois vizinhos amigos que se metem em aventuras por Londres, na época em que Sherlock Holmes ainda andava por aquelas bandas.

A príncípio, o que achamos uma história sem pé nem cabeça, pelo fato de estarmos acostumados com o filme, percebemos logo que tem um fundamento importantíssimo em toda a história, pois esses dois amigos serão os responsáveis pela descoberta de novos mundos e pela criação de outro novo.

Nos dando informações valiosíssimas, nós descobrimos neste livro de onde surge a Feiticeira, sim aquela mesma do filme, e como ela foi parar nas histórias conseguintes. Ela tem o mundo dela, depois vai para outro, vai para Londres, depois volta e por fim fica em seu mundo final. Confuso? Pois é, confusão é o que mais existe nesse livro, então, se não tiver imaginação e criatividade o bastante para entender toda essa magia, não leia.


"Tinha-se a impressão de se ouvir as árvores bebendo água com suas raízes. Mais tarde, sempre que tentava descrever esse bosque, Digory dizia: "Era um lugar rico: rico como um panetone.""


Até a metade do livro, a história fica muito crua, embora não menos fantástica. Mas depois da metade, podemos ver a criação, exatamente, a criação, de Nárnia surgindo do nada, onde o bem aparece devido ao aparecimento do mau. E em meio a canções de esperança de Aslan e uma série de acontecimentos de novo mundo, a história toma uma conscistência maravilhosa.

Este ponto, talvez, seja o mais interessante, pois a criação deste mundo, muito se parece com a criação do nosso mundo real, sim. Com muitas ações parecidas com as passagens bíblicas, Nárnia vai se tornando pouco a pouco um enorme Jardim do Éden, com direito a animais falantes, um homem e uma mulher para nomeá-los e um bem contra um mau existente desde o princípio.

E quem pensa que para por aí, está muito enganado. Digory ainda passa pela tentação de Eva, pois é, ele passa pela provação de comer ou não o Fruto-Proibido, onde a serpente ninguém mais é do que a própria Feiticeira. Se ele passou no teste ou não, vocês terão que ler.



O Sobrinho do Mago possue uma dinâmica, que é levada por todo o resto do livro, de narração explêndida. O narrador não é apenas um ser inexistente com uma voz profunda que joga palavras ao vento para nós a capturarmos, pelo contrário, ele parece ser como um avô ou avó que nos conta uma história enquanto permanecemos sentados em volta da lareira tomando um chá quente. Em diversas horas, o narrador para e conversa conosco, explica certas situações ou emoções e ainda passa adiante informações desnecessárias, isso sem perder o brilhantismo de um narrador comum.

Com um fim surpreendente e maravilhoso, O Sobrinho do Mago, entra em minha prateleira de favoritos. Este livro é totalmente de pegada filosófica e reflexiva, onde mostra que atitudes boas, nos levam a consequências boas. Isso sem contar que ao final, uma enorme ponte é puxada para o próximo livro, que nos deixa totalmente curiosos.

Relembrando ainda que neste livro, muitas coisas futuras nascem. Como o poste de iluminação tão presente em O Leão, A Feiticeira e o Guarda-Roupa. Lugares, como o castelo dos reis e acontecimentos, como o futuro inverno constante.

As Crônicas de Nárnia: O Sobrinho do Mago é um maravilhoso livro que vale muito a pena ser lido, pois mata a curiosidade de muitos de nós em relação a toda a história. É um livro bonito, que nos faz imaginar lugares irreais mas que são explêndidos (O Bosque entre Dois Mundos) e ter sensações incríveis devido a impagável narração que nos conduz a um maravilhoso desfecho. Por isso, indico para vocês este livro. Logo mais venho aqui para fazer a resenha do próximo livro, esse vai fazer as sutentações tremerem.


"Ousado aventureiro, decida de uma vez:
Faça o sino vibrar e aguarde o perigo

Ou acabe louco de tanto pensar:

"Se eu tivesse tocado, o que teria acontecido?""



Um grande abraço a todos vocês.
Espero que gostem
e que tenha ajudado a alguém que gostaria de ler.

Abraço para os marmanjos
e um beijo para as meninas.

Até Mais!

7 comentários:

Douglas disse...

Pessoal.. desculpe o sumiço grande por aqui. Duas semanas passadas, eu estive fazendo um curso a noite e praticamente eu não parei em casa. Ficava em casa só pra almoçar e dormir.. nada mais. Então, me desculpem pela ausência, sério mesmo. Agora eu voltei! \o/

bjo

Doki☺Heytor disse...

Boa tarde o/
olha quem está de volta também! o/
ja estava mais algumas semanas afastado também, as coisas realmente não estam fáceis...
O sobrinho do mago, eu já li *-*
eu ri muito da parte que explica o surgimento do poste que aparece noutra historia *-*
que bom que eu não fui o unico que achu um significado tão grande nesse livro o/

La Sorcière disse...

Doug querido:
Eu comprei As Crônicas de Nárnia na mesma promoção que vc!!!!
Só que ainda não li :(
Tá uma profusão de livros aqui em casa esperando por minha atenção...
Adoro histórias assim: fantásticas e com aventura, não importa se é literatura infanto juvenil, afinal Harry Potter é assim e é um dos meus livros preferidos no mundoooo!
Sei que estou perdendo em demorar para ler, mas preciso começar a leitura tipo... nas férias para me dedicar integralmente à leitura.
Bjs para o menino "que fica"
Alê

Junior disse...

Eu tenho o livro, e vou deixar meu protesto formal, eu paguei R$ 80,00.
Eu já li as 7 crônicas, sem exagero, uma dúzia de vezes, e adorei, não sei você reparou na forte intertextualidade com a bíblia...
Preste atenção aos detalhes depois me fala...
Abraço.

Rosana Ibanez disse...

Olá Douglas!! Quando der vou ler esse livro também, pois percebi a sua empolgação e acho que realmente deve ser muito bom. Depois da leitura verei os filmes, pois sempre fiz assim e deu certo.rrss
bjs e bom retorno!

Mariane disse...

Olá meu amigooo Douglass.. saudades de vc!!

Vc andou sumido eu também! Uma correria neh, esse ano de 2010, parece que apostamos corrida com o tempo e no meu caso ele ta ganhando, kkkkkkk!!!

Aqui, o que faço? Estou até agora babando nesse seu post! Gente, como vc conseguiu descrever tão bem, parabéns! Não é de hoje que te elogio pelos seus escritos, mas essa resenha que fez do livro foi a com mais detalhes, emoção e encantamento que li. Agora me pergunta, eu li o livro? Kkkkk, não li, mas certeza ao quadrado que amanhã to comprando, kkk! Já estava doida por esse livro, dps amigo da visitinha que fiz aqui, ele definitivamente vai morar na minha estante, hehehehe!!!

Nossa meu comentário está ficando extenso, mas vamos lá... para tudo e bate palma para essa parte que postou:

"Ousado aventureiro, decida de uma vez:
Faça o sino vibrar e aguarde o perigo
Ou acabe louco de tanto pensar:
"Se eu tivesse tocado, o que teria acontecido?""

Amei... palmas e mais palmas..Kkkk

Amigooo, vc comentou sobre meu post, obrigada pelas palavras, que bom que gostou, hehe.. sou eu mesmo, daquele jeitinho, hahah! Deixa te falar, pode trazer aqui para seu espaço sim, não precisa de indicação não... É só copiar o texto da Martha Medeiros, fazer sua descrição e indicar quantas pessoas quiser. To super hiper mega curiosa para ler o que vai falar sobre vc... (aguardando..) Kkkkk...

Bom, encerro aqui o gigante comentário... é que estava com tanta saudades de vc que tinha que amolar bastante, hahaha!!!

Boa noite amigo...super abraço!!

Bjssss....

Rodrigo Mendes disse...

Fala Douglas,

a saga Nárnia é uma ótima prosa, como Senhor dos Anéis.

Ancioso para ver o terceiro filme.

Sucessos!

Abs!

Rodrigo Mendes
www.cinemarodrigo.blogspot.com