quarta-feira, 17 de junho de 2009

Notícia de Última Hora!

Como um mero estudante de Jornalismo que sou e que pretende se formar daqui a 3 anos e meio, já correndo atrás de um bom emprego e colocando todo o dom que Deus me deu em prática, não posso deixar de vir aqui para dar a lastimável notícia que foi proclamada a todos hoje.



Já não é mais de obrigatoriedade o diploma universitário para o exercício da profissão de Jornalista no Brasil. O "bater do martelo" foi tomado pelo Supremo Tribunal Federal, nesta quarta feira (17/06), que não considerou compatível com a Constituição o uso do diploma.

Não é de hoje que sabemos que a profissão de Jornalista está em corriqueira discussão. Sempre colocado em pauta, o assunto sempre gerou muitas opniões e polêmicas, que surgiam na mídia de tempos em tempos. O grande problema é que essa discussão sempre pareceu que nunca sairia da sala de reuniões e seguiria para os papéis, assinados e carimbados.

Com oito votos a um, o recurso, que fora pedido pelo Sindicato das Empresas de Rádio e Televisão no Estado de São Paulo (Sertesp) e pelo Ministério Público Federal (MPF), de quebra de obrigatoriedade de diploma entrou em vigor. Dos ministros que votaram apenas um foi a favor de manter a exigência do diploma, Marco Aurélio Mello, que disse:


“Penso que o jornalista deve ter uma formação básica que viabilize sua atividade profissional, que repercute na vida do cidadão em geral”


Contra tudo isso, o único recurso cabível não entra de forma ameaçadora, mas sim extremamente sutil. Cabe apenas a esclarecer as dúvidas deste determinado assunto, desta forma, o presidente da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), Sérgio Murillo já disse que a entidade não irá recorrer.

É então que surge a angustiante pergunta: O que vai acontecer com os estudantes de Jornalismo no Brasil? O curso, obviamente, não irá ser extinguido. Existe ainda quem diga que, mesmo com o corte da obrigatoriedade do diploma, quem tem um, ainda possui algo que outras pessoas não tem, afinal, qualquer pessoa pode escrever bem e ser um Jornalista, mas nem todos estudaram para possuirem técnicas e particularidades que apenas o curso de Comunicação Social possui.

O grande problema dos futuros Jornalistas diplomados daqui para frente será a alta desvalorização da profissão. Com a possível admissão de trabalhadores sem diploma, o salário irá baixar e a procura por esses profissionais irá crescer, já que o talento de escrever pode sim estar em pessoas que não sejam universitários formados, mas que não possuem aprendizagens que um curso universitário oferece.

Talvez uma solução seja não mudar todo o costume profissional dos senhores Jornalistas, pois estão tomando tal decisão com ênfase na imcompatibilidade com a Constituição, mas sim ajustar tudo de forma cabível a profissão, analisando o que é necessário e melhor para o profissional e para o mercado de trabalho.

Claro que tudo isso ainda terá muitos altos e baixos. Como esse recurso foi assinado hoje, muita "água vai rolar" e diversas coisas e comentários irão acontecer, o que não muda o fato de que o diploma foi rebaixado. O mundo jornalistico foi mudado e seus profissionais estão, digamos assim, de certa forma revoltados e muita coisas diferentes estão por vir. (seria a volta dos Caras Pintadas?)


Não julguemos os talentos perdidos por ai entre cordas e ferragens, mas venhamos e convenhamos, isso degrada e prejudica o Jornalista formado que passa por anos adquirindo conhecimento e que no fim, pode ter sua vaga de emprego tida por alguém que não fez nenhum tipo de especialização.


Esperemos o caso amadurecer um pouco mais na mente da população, das entidades e dos futuros e já presentes jornalistas para sabermos mais informações. Qual for a novidade, eu posto aqui ok?

PS: Qualquer erro aqui postado, por favor pessoal, podem comentar, argumentar e corrigir belezinha?

Então, obrigado pela atenção pessoal.
Até mais!!

25 comentários:

simone gomes disse...

aff, fico indignada com esse tipo de coisa.

nao acho justo com aqueles que c matam para fazer uma faculdade ¬¬º

digo isso nao só em relaçao ao jornalismo, mas sim para qualquer outra profissao.

Rosana disse...

Também acho injusto essa nova decisão, pois com certeza a profissão de jornalista ficará totalmente desvalorizada. A pessoa ter o dom de "saber escrever", não o torna apto a ser um jornalista e exercer a profissão, pois como em todas as profissões acho que deverá ter sim a obrigatoriedade de uma faculdade, pois o aprendizado e o conhecimento da faculdade ele não adquirirá em lugar algum. Mas aqui é Brasil, não é mesmo?? e com um governo como o nosso, nada funciona..
É uma pena...

Sil disse...

Olá, tudo bem?
Meu nome é Silvana(Sil) e gostaria de lhe dizer PARABÉNS!!!!!!Adoro pessoas inteligentes e bem humoradas.Adorei seu Blog.Leve, descontraido e com um bom conteudo!
Convido vc a visitar o meu Blog e da minha amiga Deia Também
http://www.depoisdodiva.blogspot.com/
Sou psicologa e vou adorar ler seus comentarios por lá.
Bjs e boa semana!
Sil

maryjane disse...

Concordo contigo. Acho jornalismo uma profissão muito boa, e seria um desperdicio ser desvalorizada de tal modo.

Você é bem direto, dá até gosto. HAHAHAHA... Obrigado pelos comentário, eu também gosto muito do teu blog "o Cronista" é um nome que chama bastante atenção. E obrigado pelo selo (?) estou aprendendo a usar ainda o blog ,lembre-se de que sou nova por aqui... Hahaha.

introspectivasim disse...

Oi Douglas! Parabéns pelo seu blog, é muito bom, já seguindo.

Também acho injusto o que está acontecendo: Mais uma profissão desvalorizada para terminar de ferrar a educação neste país. Mas não se preocupe. Talvez para ser colunista daquele jornal de R$0,50 que é vendido dentro das estações de trem não precise mesmo de diploma de ensino superior. Mas pode ter cereteza de que empresas sérias e de grande porte ainda estarão dispostas a pagarem mais por profissionais devidamente qualificados. A alienação está cada vez maior e o analfabetismo funcional está tomando conta da população. É difícil, hoje, encontrar bom senso, responsabilidade e competência em um funcionário só. E é aí que fazemos a diferença.

Sempre haverá uma boa oportunidade para aqueles que fazem o seu trabalho com qualidade, dignidade e respeito.

Um grande beijo!

. disse...

Como assim, não vai ter diploma?
O caboclo se mata para passar no vestibular, muitas vezes rala para conciliar trabalho e faculdade e não vai receber o seu mérito, no final?

Que piada de mal gosto.

Liciane disse...

É lamentável.
Mas acredito que os que não fizeram o curso jamais serão tão bons quanto os que fizeram. O curso tem toda uma preparação... Anos e anos de estudos...
E tbm serão mais valorizados, mais bem pagos.
Que mau gosto isso.
Acabando com o incentivo ao estudo, acabando com a motivação...

ötima sexta-feira p/ vc.
Bjsss

Valentine Schitzer disse...

Esse tipo de decisão somente contribui para o enfraquecimento do campo profissional. Afinal agora os jornalistas terão mais concorrentes que, por falta do diploma, cobrarão menos pelo trabalho. É um absurdo, principalmente tendo em vista que lhes é garantido um piso salarial devido esse diploma. piso esse que já é bem difícil de conseguir um emprego que queira pagar. Agora com a informalidade atuante, ficará mais difícil ainda.
Não sou jornalista, fiz design, e como designer já trabalhei em jornais. E nesses jornais eu via a falta de preparo de alguns profissionais, imagina então se não fosse preciso um diploma. Além da defasagem de informações importantes pra exercer a profissão, como ética, por exemplo.
Minha profissão também não tem obrigatoriedade de diploma, mas eu te afirmo uma coisa: sabe-se claramente a diferença da qualidade de um trabalho de alguém formado e o de um trabalhador “informal”.

Luiza de fato! disse...

Ei Douglas!
Também achei muito injusta essa decisão; concordo em tudo com a Rosana.
Beijo rapaz ;)

Douglas disse...

Pois é pessoal.. agora o lance é esse, Jornalista não precisa mais de Diploma para ser Jornalista.

Concordo com tudo que vocês disseram, agora a concorrencia irá aumentar, o salário diminuir, já que como a Valentine disse, já é dificil um piso normalmente, imagine agora..

O pior é que tem muita gente que já pensa em desistir, que quer largar a faculdade e tudo mais, com certeza quem faz a faculdade tem algo que os outros não tem.. ali se aprende técnicas, ética e com a experiencia de outras pessoas como professores e próprios colegas de turma..

Vai haver uma defasagem no profissional sim, mas tenho a esperança de que as empresas, digamos assim vai, mais sérias saibam distinguir quem entra.

Eu também acho uma tremenda picaretagem, o povo se matou de estudar para passar em um vestibular ou paga olho da cara para poder ter um estudo bacana e no fim acaba ocorrendo isso.. como disse a Simone, isso é errado com todas as profissões, entre elas designer, que eu não sabia que não precisava de diploma e que eu acho uma profissão super legal..

Pra terem noção, até a OAB se meteu no barato, li hoje na Tvzinha do Metrô, dizendo que a quebra da obrigatoriedade foi um ERRO do Supremo.. pra ver como é o baratoo...

hehe
valeew pelos comentárioos pessoal!!
Todos vocês!!
Valeuzãão!!

Adrielly Soares disse...

Acho que é uma questão bem complicada, mas acho que pra tudo tem uma técnica, pra administrar, pra educar, pra TUDO. Tem muita gente que escreve bem e não tem condições de fazer jornalismo, mas não dá pra deixar que os jornalistas não tenham especialização no que fazem. Complicado. Mas acho que sim, eles votaram errado.

introspectivasim disse...

Eu sei que você já tem selo, mas eu indiquei você assim mesmo :P

Sorrir é muito importante sim eu sinceramente acho que as pessoas que se incomodam com isso tem um coração cinza...

Beijo para você!!

introspectivasim disse...

Mais um comentário: Estava conversando com meu namorado hoje sobre isso e ele falou uma coisa interessante: Fato que isso foi uma enorme (para não dizer outra coisa) jogada do governo. Porque como o nível dos profissionais vai cair, as informações não serão passadas direito. É mais uma vez o governo manipulando a informação. (Isso te lembra alguma coisa?)

Mas é como já foi dito: Empresas grandes e sérias sabem da necessidade de um bom profissional. Quem tem competência será devidamente reconhecido.

Beijo prara você!

.jú souza disse...

nossa, fico indignada com isso! pessoas que ja se formaram e passaram anos estudando podem "perder" a vaga por outras pessoas que nem sequer falam direito. Faculdade é para aprender, e como uma pessoa pode ser jornalista sem aprender?! Acho totalmente errado... daqui a pouco médicos também não vão precisar de diploma, por favor! --'

er, enfim... primeira vez aqui. *:

~*rafasonehara disse...

Não acredito que isso esta acontecendo!! --'
Não desvalorizando as pessoas que escrevem bem mais não possuem o diploma
mais acho super importante ter um..
Ele vai estar comprovando que vc é apto a fazer tal coisa
é a prova do esforço de muitos anos
aperfeiçoando algo que que nos dá prazer e que fazemos bem!
Achei legal essa sua abordagem na questão salarial é a mesma coisa dos cursos tecnicos
as empresas preferem contratar tecnicos tbm pela questão salarial..
enfim falei demais e acho que não falei nada
Beijos

Douglas disse...

acho que você falou bastante e bem falado rafa!!

quem escreve bem, é um talento que a pessoa possui, ótimo, vamos trabalhar em cima deste dom para transformá-lo em uma prfissão. Muita profissão requer escrever bem, mas cada um de um modo diferente e que é trabalhado na faculdade que escolhemos!!

Concordo com a instrospectiva quando ela fala que essa bela decisão convêm a muita gente, inclusive, pra não dizer principalmente, ao governo.

é, é um problemão isso ai, mããs.. temos que ver o que será feito, muita coisa ainda vai rolar sabem?? Temos que esperar e tirar conclusões mais, digamos, precisas.

Mas que é um tremenda injustiça é!

PS: na comunidade do orkut de Jornalismo, tem pessoas que defendem o que aconteceu, mas não possuem argumento cabível para contrapor.. engraçado não? hehe

bjos

~*rafasonehara disse...

ai que bom que vc
entendeu o que eu quiz dizer ;DD
to seguindo tbm!!
beijos
:*

introspectivasim disse...

Oi Douglas!
Deixei um selo lá para você! :D
Grande beijo!

.jú souza disse...

obrigada pelo comentário e pelos elogios. :D
-sim, eu percebi que voce só usa exclamação :D -

obrigada por me linkar ;)
beeijo *:


p.s: ah é, me chama de jú...

Gato Guga disse...

Uma breve opinião de um leitor de "O Cronista", que não é jornalista, nem está estudando jornalismo e tampouco almeija tal degrau.
Seguinte, primeiro, a questão das universidades no brasil é um caos. Sem essa de que lá na sala de aula o estudante de jornalismo, assim como o de medicina, do direito etc, aprende de fato, Não aprende, sem contar que saber escrever é um dom também. A escola não mais prepara o estudante porque ela própria não é preparada. Possui, salvo as pouquíssimas exceções, professores ruins, especialmente porque se sujeitam a ganhar um salário muito aquém do que merecem e precisam. Os professores, no brasil, inclusive os que ganham bem, não passam, em sua maioria, nas provas do ENEM e isso é fato. Então, a preparação do jornalista não estará na sala de aula, ainda mais porque, como em qualquer outro curso, é pura teoria. Fechou.
Outra questão, a extinção da profissão, sim, pois se não é preciso mais concluir o curso de jornalismo, a profissão não existe mais, ao menos na teoria, não.
Portanto, temos. Se a escola não prepara, é cara, morosa etc e se o país diz que para exercer a profissão, a escola é desnecessário, onde está então a necessidade de estudar jornalismo?
Nesse paisinho que vivemos tudo é mais ou menos por ai. As pessoas andam para trás sempre.
Isso é uma sacanagem com a cultura, pois, em contrapartida ao que citei acima, se o profissional que estudou já não é assim, digamos, preparado, imagine sem nunca ter sentado em uma carteira.
Claro é, aliás, é óbvio, que os jornais e firmas relacionadas, vão exigir o diploma para admitir os seus jornalistas.
Iludido e ingênuo é quem imagina que vai chegar no grupo Folha e pedir emprego de jornalista, sem ter o diploma citado em seu currículum. O máximo que um tonto que crer nisso pode conseguir é um emprego no jornal do bairro e ainda se o dono da gazeta local for um acéfalo, pois eu jamais iria admitir um cara que não sabe escrever e que não tenha a mínima técnica de um profissional.
A decisão é absurda e mostra, com o voto único contra, que temos sim pessoas decentes no país, mas vimos que são bem poucas.
Claro, isso vai sim tirar a vaga de alguns, pois com essa possibilidade, o apadrinhamento vai tomar conta.
Fico pensando apenas, em alguns anos, quando as revistas, jornais etc, tiverem editores chefes que não passaram na escola, que qualidade de coisa estaremos lendo?
No fundo, a profissão de jornalista não está ameaçada apenas porque o curso não é mais obrigatório, mas sim por pouco da tecnologia. É tendencioso que em alguns anos mais, não exista mais nenhum tipo de mídia impressa. Jornais e revistas de papel tendem a sumir, pois o meio eletrônico é mais atualizado, barato e verde, ou seja, não agride tanto a natureza e não derruba árvores.
Eu lamento por você, por sua indignação, por estar ganhando desânimo com o fato, mas eu realmente não desistiria, se acaso estivesse em seu lugar, pois ainda que você perceba que as dezenas de colegas não passaram na escola e mesmo assim estaã fazendo o mesmo que você, pense que a questão da competência sempre prevalecerá e sabemos, um acéfalo não vai fazer frente a sua capacidade. Jamais.
Abraços.

Douglas disse...

pois é.. não penso em desistir, afinal estudando como estou, vai me dar um conhecimento a mais. A gente tem que acreditar em nossos dons e na nossa capacidade, afinal somos nós mesmos que tralhamos nosso caminho não é? Já vi muita gente na própria quarta passada já pensando em desistir, poxa, a coisa nem amadureceu direito e o povo já quer desistir? Não penso em desistencia.. hehe

Concordo contigo quando diz que haverão apadrinhamentos e que a questão de ser jornalista ou não, não se deve ao fato de se ter um papel, mas sim a tecnica por detrás dele.

Também confio nos jornais grandes. Como disse, não queira qualquer um achar que pode entrar na Folha assim com tanta facilidade ou no Estadão achando que já é membro da diretoria... tenho certeza também que, cada um desses jornas grandes e outros deles, não vão querer ver seu nome na lama por profissionais que não tiveram estudo apropriado e que podem fazer magnificas lamburjas com a Matéria e o Jornal.

Estou firme e forte na profissão e não penso em desistir não.. quero só ver onde tudo isso vai parar.. hehe

abraço

Gato Guga disse...

É isso ai, Douglas.
Fechou.

Philip Rangel disse...

Sinceramente..acompanhei isso em alguns blogs...nao sei se sou a pessoa mais gabaritada para explanar sobre esse acontecimento pois sou estudante de direito...contudo como começou la em cima no judiciario em confronto com o legislativo é meu dever...falo de omissao de uma decisão sem pensar...els nao viram a enorme importancia que tem essa formação como qualquer profissao que exige seu diploma de curso...como que um advogado vai poder seguir se nao sabe de nada da profissao???como ele vai julgar...condenar...ajudar pessoas se nao tem capacidade???isso eu penso como o jornalismo..pra qm faz comunicação tmb mexe com pessoas...e qualquer erro pode acabar com a reputação das pessoas....

mas eu falo mais...isso nao dura muito tempo nao..porque la as coisas tao feias....

parabens pelo blog..e conteudo por aki.....voltarei mais vezes sim...

abraços
Philip Rangel
Editor do blog
Entrando Numa Fria

Doki☺Heytor disse...

Eu chamo isso de circo =D

Douglas disse...

concordando PLENAMENTE!!!

É muito difícil alguém ser advogado, médico, jornalista, designer, analista de sistemas, engenheiro ou o que mais for sem ao menos um estudo.

Ter dom todos nós temos um, temos que saber trabalhá-lo e isso a faculdade faz. Trabalhamos em cima de nosso talento para servir como profissão.

Como se fosse fácil ser jornalista..

Concordo Doki!
É um belo de um circo isso sim.

obrigadoo pelos coments..
faloow